Home Informe por Banco Bradesco Inf.17/968 ‚Äď Bradesco √© notificado pelo MPT-SC, por ass√©dio moral

Inf.17/968 ‚Äď Bradesco √© notificado pelo MPT-SC, por ass√©dio moral

0
686

O Minist√©rio P√ļblico do Trabalho em Santa Catarina (MPT-SC) editou notifica√ß√£o recomendat√≥ria para
que o Banco Bradesco impeça o assédio moral interpessoal em razão de condutas do gerente regional
responsável por mais de 40 agências do oeste catarinense. São cerca de 200 bancários subordinados ao
acusado.
Ao menos seis testemunhas ouvidas pelo MPT declararam de forma un√Ęnime ter presenciado situa√ß√Ķes
em que banc√°rios que n√£o atingiam metas, saiam chorando de reuni√Ķes devido a forma agressiva,
humilhante e desrespeitosa do superior. Condutas inadequadas que degradavam o meio ambiente de
trabalho.
O assédio ocorria por meio de ameaças diretas ou veladas de demissão no caso de não atingimento de
metas e cobranças excessivas, utilizando palavras de baixo escalão e em tom agressivo.
A prova produzida nos autos de inquérito civil comprovou de forma cabal que o gerente regional vem
praticando diversas atitudes assediadoras inclusive em audioconferências pressionando excessivamente
os banc√°rios que j√° se encontram sobrecarregados por metas e subdimensionamento no quadro de
empregados.
A notifica√ß√£o recomendat√≥ria foi expedida ap√≥s den√ļncia apresentado pelo sindicato dos banc√°rios de
Chapecó e região que inclusive registrou um boletim de ocorrência contra o acusado.
No dia 07/07/17, os bancários paralisaram as atividades na agência central de Chapecó, em protesto pelas
práticas assediadoras. No inquérito civil foi apurado que o gerente regional já havia sido denunciado por
assédio moral pelo Sindicato de Sorocaba e Região e mesmo assim foi promovido pela direção do
Bradesco para a região de Chapecó onde continua se utilizando da prática abusiva para cobrar resultados.
A notificação ressalta que o Banco, além de coibir imediatamente o assédio moral pelo gerente regional,
poderá responder civilmente pela conduta do seu gestor. O gerente regional também foi notificado para
cessar suas condutas ilícitas.
Segundo o Procurador do Trabalho Sandro Eduardo Sardá “além do assédio moral interpessoal, a prova
testemunhal também comprovou a existência de metas abusivas, cobranças excessivas,
subdimensionamento de bancários nas agências, tempo de fila de espera superior ao previsto, sobrecarga
de trabalho, desvirtuamento das jornadas dos bancários e outras práticas que configuram assédio
interpessoal, mat√©rias que dever√£o ser oportunamente objeto de A√ß√Ķes Civis P√ļblicas‚ÄĚ. Confira a √≠ntegra
da notificação recomendatória expedida nos autos do IC 85.2005.12.000/0.

Fonte: assessoria de comunica√ß√£o social MPT ‚Äď SC

Diretoria Executiva da CONTEC

Veja Também

Sugest√£o

Bancos e operadoras de telefonia s√£o campe√Ķes em a√ß√Ķes judiciais, diz CNJ

Pesquisa revela que em quatro dos sete tribunais pesquisados, dez empresas concentravam 50…