Home Contec Online 2008 Outubro 2008 Inf.08/1087 – FINANCIAMENTO IMOBILIÁRIO

Inf.08/1087 – FINANCIAMENTO IMOBILIÁRIO

0
435
O ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão, Paulo Bernardo, informou ontem que o governo vai anunciar, em breve, novas medidas para facilitar mais o financiamento imobiliário. Isso porque, segundo ele, “ainda tem muita gente que não pode financiar imóvel”.
O Brasil, destacou o ministro, tem um sistema imobiliário “completamente diferente” do norte-americano, onde começou a crise financeira que se espalha pelo mundo. Ele disse que os bancos brasileiros “têm muita capacidade de investir e de financiar”, além de existir demanda.
O que precisamos, disse ele, é compatibilizar os juros, as prestações e condições de financiamento com a renda das pessoas. “Em especial das famílias de menor poder aquisitivo”. Paulo Bernardo afirmou que o governo quer ampliar o acesso e não vê nenhum problema com o crescimento de crédito imobiliário no País.
Muito pelo contrário, acrescentou o ministro. De acordo com ele, o financiamento imobiliário no Brasil tem crescido “de forma sustentável, saudável”, e está alimentando a indústria de material de construção. “É uma coisa positiva, que tem que ser mantida”, enfatizou. O mercado imobiliário brasileiro “não tem nenhum tipo de problema”, segundo Paulo Bernardo. “O que aconteceu no mercado americano foi que primeiro os imóveis se valorizaram excessivamente. Depois houve um movimento muito grande para financiar e refinanciar. Então, quando veio o problema, verificou-se que o sistema estava todo ‘bichado’”.
No Brasil, o setor funciona de forma diferente, com foco maior nos financiamentos com recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE), que têm regras próprias para a concessão de créditos para a aquisição de imóveis.
Por causa disso e em razão da grande demanda por casa própria, o aumento dos níveis de emprego e da renda familiar estimulou a recuperação do mercado de imóveis, com crescimento constante nos últimos quatro anos, de acordo com a Câmara Brasileira da Indústria de Construção (CBIC).
A expansão tem-se verificado de forma mais forte ainda neste ano, com ritmo de contratações acima das expectativas dos agentes financeiros. Números da Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip) mostram que o setor cresceu 92,5%, de janeiro a agosto, em relação a igual período de 2007.
Nesses oito meses, as operações com dinheiro das cadernetas de poupança para financiar 197.820 moradias somaram R$ 19,876 bilhões. A expectativa da Abecip é de que o volume de recursos chegue a R$ 30 bilhões no final do ano, e o número de unidades financiadas alcance 300 mil, superando o recorde de 1981, quando foram financiados 267 mil imóveis.
Computados, porém, os financiamentos da Caixa Econômica Federal com recursos do FGTS, o número de moradias financiadas ultrapassa 336 mil unidades até agora, com destaque para o crescimento de aquisições pelas populações de menor renda. A faixa de renda familiar até cinco salários mínimos responde por 48% das operações de crédito imobiliário.
Fonte: Gazeta Mercantil
Diretoria Executiva da CONTEC
2008 – CONTEC 50 ANOS

Sugestão

Custom Research Paper Writing

Customized research paper is a paper that is completely designed and written by the writer…