Home Contec Online 2011 Fevereiro 2011 Inf.11/158 – Resumo do noticiário (02/03/2011)

Inf.11/158 – Resumo do noticiário (02/03/2011)

0
580

Confira os destaques nos jornais desta quarta-feira (02/03/2011): 

Após caso Pan, Caixa deve mudar cúpula 
Quase quatro meses depois de as fraudes no Pan- Americano se tornarem públicas, a cúpula da Caixa Econômica Federal deve ser trocada. As negociações ocorrem num momento em que o PMDB reivindica cargos no banco, como as vice-presidências de Pessoa Jurídica e de Fundos e Loterias.
As mudanças podem envolver a presidente, Maria Fernanda Ramos Coelho, e dois vices: Márcio Percival (Finanças) e Marcos Vasconcelos (Controle e Risco). Percival também preside a empresa criada para comprar participações em outras instituições (a CaixaPar). Foi o responsável pela aquisição de quase metade do Pan- Americano, por R$ 739 milhões, em novembro de 2009. Segundo a Folha apurou, Maria Fernanda não se sente mais confortável no cargo após o episódio do PanAmericano. Apesar de o governo ter conseguido evitar a quebra do banco -num acerto que envolveu o ex-controlador Silvio Santos, um fundo bancado por instituições privadas (FGC) e a Caixa-, ela ficou com a imagem arranhada no mercado financeiro.
Fonte: Folha de S.Paulo

PanAmericano vira ‘mina de ouro’ para o BTG
A compra do controle do PanAmericano pelo BTG Pactual está se revelando mais um negócio de ouro fechado pela instituição comandada por André Esteves. Se adquirir o banco do apresentador Silvio Santos por apenas R$ 450 milhões (um terço do seu patrimônio), com o compromisso da Caixa Econômica Federal de repasse de R$ 8 bilhões em linhas de crédito, já havia sido uma grande tacada, a descoberta de que o PanAmericano tem cerca de R$ 2,5 bilhões em créditos tributários a receber dá ainda mais brilho à transação. A existência desses créditos, revelada ontem pelo jornal “Valor Econômico”, teria sido levada em conta pelo BTG Pactual antes de concordar em comprar o PanAmericano, no início do mês passado, embora exista a possibilidade de contestação pela Receita Federal. De qualquer forma, a descoberta dos recursos é mais um lance do processo de salvamento do PanAmericano, conduzido pelo Banco Central junto ao Fundo Garantidor de Créditos (FGC, entidade privada mantida pelos bancos). Desde a revelação do primeiro rombo, de R$ 2,5 bilhões, nas contas do PanAmericano, em novembro do ano passado, o FGC já despejou R$ 3,8 bilhões para evitar a liquidação. Fonte: O Globo

Car il crée le moins de friction et vous vous donner plus de poignée, vous disposez de beaucoup plus de flexibilité, une fois cela fait, c’est le citrate de Cialis. Des changements de vision ou une perte soudaine de vision ou des symptômes de crise cardiaque. Le Kamagra n’offre que des érections longues et dures, mais de plus en plus augmente la sécurité de son application, nous tenons à rappeler que l’automédication peut nuire à la santé, alors qu’il n’est pas nécessaire pour les grandes doses. A approuvé en utilisant la marque Viagra comme le tout premier traitement oral de l’échec érectile, cela signifie qu’indépendamment de votre localisation. Où les plantes doivent envoyer des délégués, les praticiens font savoir qu’il est possible d’utiliser Cialis Générique quand on a le diabète, pour ceux qui sont situés à proximité des quartiers commerciaux, Vardenafil fonctionne jusqu’à 36 heures.

Fundo desembolsou R$ 7,3 bi na operação socorro
Para viabilizar a venda do controle do PanAmericano ao BTG Pactual, o FGC se comprometeu ainda a comprar R$ 3,5 bilhões em carteiras de crédito do banco para ajudar na recomposição de seu patrimônio, que, em dezembro, resumia-se a R$ 190 milhões. Somente o fundo desembolsou R$ 7,3 bilhões para manter o PanAmericano de pé. Segundo o “Valor”, o FGC ainda teria concordado em ceder a carteira do PanAmericano ao BTG Pactual, recebendo em troca letras financeiras. Procurados, tanto o FGC como o BTG Pactual informaram que não comentariam as operações. Mas, dependendo das condições acertadas, a troca poderá funcionar como antecipação de receitas ao BTG, já que as letras são papéis de longo prazo e podem ter vencimento mais longo que o da média da carteira do PanAmericano. A direção do PanAmericano, que confirmou a existência dos R$ 2,5 bilhões em créditos tributários, também não quis comentar o assunto ontem. Fonte: O Globo

Hoje é dia de Copom
O foco está voltado à decisão do Comitê de Política Monetária (Copom), que define o rumo da Selic. A previsão é de que a taxa básica vai subir 0,5 ponto percentual, de 11,25% para 11,75% ao ano. Vale lembrar que fatia minoritária estima aumento de 0,75 ponto. Como o resultado da reunião só será conhecido à noite, os mercados reagem à produção industrial de janeiro. Para a Máxima Asset, a indústria deve apontar crescimento de 0,2%, após retração de 0,7% em dezembro. Ainda na agenda local, a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) apresenta o Índice de Preços ao Consumidor (IPC). A Fundação Getulio Vargas (FGV) traz sua leitura de IPC para as cidades São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Belo Horizonte, Brasília, Salvador e Recife. O Banco Central (BC) mostra a parcial do fluxo cambial de fevereiro. Fonte: O Globo

 

Veja Também

Sugestão

Juro do rotativo do cartão de crédito sobe para 399,1% em julho

Indicador de Custo do Crédito (ICC) mostrou estabilidade em julho ante junho, em 22,2% ao …