Home Contec Online 2009 Abril 2009 Inf.09/448 – BB APURA RESULTADO EXTRA DE R$ 393 MILHÕES

Inf.09/448 – BB APURA RESULTADO EXTRA DE R$ 393 MILHÕES

0
413

O Banco do Brasil (BB) divulga em 14 de maio os resultados do primeiro trimestre. De largada há um fôlego de R$ 393 milhões a engordar o lucro da instituição. Essa “folga” deve-se a um fator extraordinário: o reconhecimento de R$ 1,213 bilhão de créditos tributários no período. Desse total, o BB descontou R$ 820 milhões referentes à complementação da provisão para pagamento de demandas trabalhistas, cíveis e fiscais. O saldo entre essas movimentações garante, desde já, cerca de R$ 400 milhões para o lucro no primeiro trimestre, segundo informou o BB ontem, quando anunciou também ter conquistado 31% do mercado de Adiantamento de Contratos de Câmbio (ACC) e Adiantamentos sobre Cambiais Entregues (ACE) em março, movimentando US$ 1,033 bilhão.

A receita de R$ 1,213 bilhão é relativa ao reconhecimento de créditos tributários originados da alteração da alíquota de 9% para 15% da Contribuição Social sobre Lucro Líquido (CSLL), estabelecido por Lei em junho do ano passado. A Confederação Nacional do Sistema Financeiro (Consif) havia dado ingresso a uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin), posicionando-se contrária à elevação da alíquota. A área jurídica do BB, entretanto, considera que o caso está fragilizado, ou seja, dificilmente a Consif ganhará a causa.

Nessa Adin, o Banco do Brasil não é autor, mas participa como parte interessada, como integrante da Consif. Mas a partir do momento em que o BB percebeu que não havia perspectiva de ganhar a causa, liberou os créditos tributários que ficavam “presos” enquanto não havia decisão sobre a matéria, os quais engordarão o resultado do primeiro trimestre e compensarão o maior contingenciamento exigido pelo aumento da percepção de risco quanto a perdas em ações na Justiça.

No mercado de crédito ao comércio exterior, março foi o primeiro mês do ano no qual o BB negociou mais de US$ 1 bilhão em ACC e ACE. O número representa expansão de 54% sobre fevereiro. Em valores, o BB ainda não voltou aos patamares anteriores ao início da crise financeira, mas expandiu sua participação no mercado. Em setembro do ano passado, o banco ofereceu quase US$ 1,4 bilhão para ACC e ACE, mas isso representava apenas 26,4% do segmento. O BB anunciou ainda que em março negociou US$ 3,9 bilhões em contratos de câmbio de exportação (31% do mercado), ante os US$ 3,3 bilhões, em fevereiro.

No mercado interno, o BB revelou resultados referentes a duas linhas. A modalidade de antecipação do 13 salário liberou R$ 186,9 milhões até o final do primeiro trimestre, frente R$ 108,7 milhões em igual período do ano passado. Já a linha de antecipação da restituição do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) liberou R$ 197,4 milhões no mês passado, um crescimento de 53% sobre igual mês de 2008.
Fonte: Gazeta Mercantil

Diretoria Executiva da CONTEC

Sugestão

Juro do rotativo do cartão de crédito sobe para 399,1% em julho

Indicador de Custo do Crédito (ICC) mostrou estabilidade em julho ante junho, em 22,2% ao …