Home Informe por Banco Caixa EconĂŽmica Caixa reduz agĂȘncias e postos de trabalho

Caixa reduz agĂȘncias e postos de trabalho

0
6,247

Banco comemora lucro de R$ 3,9 bi no primeiro trimestre, mas avaliação do balanço revela também que a empresa estå enxugando o quadro de pessoal e provocando uma precarização das condiçÔes de trabalho

A Caixa EconĂŽmica Federal apresentou nesta terça-feira o resultado do primeiro trimestre do ano. Apesar do resultado positivo – lucro lĂ­quido de R$ 3,9 bilhĂ”es – os nĂșmeros mostram que o banco continua encolhendo sua participação no mercado bancĂĄrio nacional, ofertando menos crĂ©dito, reduzindo o nĂșmero de empregados e de postos de atendimento.

A Caixa jĂĄ Ă© um dos bancos com menos empregados dentre os cinco maiores. Nos Ășltimos 12 meses, foi o banco que apresentou maior queda percentual no nĂșmero de trabalhadores. Se no final de 2014 o banco contava com 101.484 empregados, hoje estĂĄ com 84.826 mil, o que implica em 16.558 trabalhadores a menos.

A situação tende a ser agravar: cerca de 3,5 mil trabalhadores aderiram ao atual Programa de DemissĂŁo VoluntĂĄria (PDV), elevando a redução do quadro de pessoal, em cinco anos, para cerca de 20 mil empregados. “As duas mil contrataçÔes anunciadas nos Ășltimos dias pela direção do banco serĂŁo insuficientes para resolver o problema de precarização das condiçÔes de trabalho e do atendimento Ă  população”, acrescenta Jair Ferreira, presidente da Federação Nacional das AssociaçÔes de Pessoal da Caixa (Fenae).

AlĂ©m de enxugar pessoal, a Caixa estĂĄ reduzindo tambĂ©m o nĂșmero de agĂȘncias.  Entre 2018 e 2019, 23 postos de atendimento foram fechados. Enquanto isso, o nĂșmero de clientes passou de 92,6 milhĂ”es (quarto trimestre de 2018) para 99,3 milhĂ”es.

Fonte: Fenae

Diretoria Executiva da CONTEC

Veja Também

SugestĂŁo

Reforma trabalhista abriu flanco para demissÔes em massa nas universidades particulares

Orlando Silva (ao centro): “As demissĂ”es em massa constituem atentado vigoroso aos direito…