Home Informe por Banco Ita├║ Inf.16/1463 – Justi├ža confirma legalidade da greve dos banc├írios e nega liminar ├á Bradesco e Ita├║

Inf.16/1463 – Justi├ža confirma legalidade da greve dos banc├írios e nega liminar ├á Bradesco e Ita├║

0
630

Justi├ža confirma legalidade da greve dos banc├írios e nega liminar ├á Bradesco e Ita├║

Mais uma vez a Justi├ža do Trabalho confirmou a legalidade da greve dos banc├írios no Tocantins. Duas liminares foram negadas referentes aos Interditos Proibit├│rios em que o Ita├║ Unibanco de Gurupi e do banco Bradesco de Palmas que moveram contra o Sindicato dos banc├írios do Tocantins para obrig├í-lo a suspender imediatamente a greve. Em Palmas a decis├úo do juiz do trabalho do juiz titular Francisco Rodrigues de Barros, e em Gurupi a decis├úo foi da ju├şza Regina Celia Oliveira Serrano.

Os banc├írios est├úo em greve desde o ├║ltimo dia 6 de setembro e reivindicam melhores condi├ž├Áes de trabalho e um reajuste salarial de 14,78%. Em todo Estado 142 ag├¬ncias permanecem fechadas do total de 158. Em Gurupi, a ju├şza destacou que o Ita├║ entendeu que banco n├úo provou que os grevistas estavam impedindo o direito de ir e vir e marcou uma audi├¬ncia para dia 26 de outubro.

Consta na decis├úo: ÔÇťPelos documentos trazidos aos autos, n├úo vislumbro a presen├ža de
prova das alega├ž├Áes do Autor a autorizar a concess├úo da medida liminar pretendida, uma vez que n├úo h├í prova m├şnima que indique que o Sindicato esteja adotando um posicionamento n├úo pac├şfico em rela├ž├úo ao movimento paredista em curso em desrespeito ├á Lei n┬║ 7.783/89, n├úo havendo, sequer, indica├ž├úo da ag├¬ncia banc├íria onde est├úo sendo praticados os fatos imputados ao R├ęuÔÇŁ.

O juiz Francisco Rodrigues de Barros, j├í havia negado no ├║ltimo dia 25 deferido de liminar na a├ž├úo de Interdito Proibit├│rio em que o Ita├║ Unibanco da Capital, contra o Sindicato. ÔÇťEstamos dentro da lei. Isso s├│ reafirma a legitimidade da nossa greveÔÇŁ, afirmou o presidente do Sindicato dos Banc├írios, Crispim Batista Filho.

Negocia├ž├úo Fenaban

Mais uma vez a Federa├ž├úo Nacional dos Bancos (Fenaban) demonstrou que n├úo importa com os direitos trabalhistas dos banc├írios apresentaram a contraproposta anterior em reuni├úo nesta ter├ža-feira, 27, sendo o reajuste de 7% e abono R$ 3.300 mil.

Ap├│s v├írios debates e mais uma vez a rejei├ž├úo da comiss├úo banc├íria de negocia├ž├úo, acontece hoje mais uma reuni├úo com a Federa├ž├úo. A secret├íria geral do Sintec-TO, participa das negocia├ž├Áes. O presidente do Sindicato, lamenta a frieza e o descaso dos banqueiros e pede a mobiliza├ž├úo da categoria.

ÔÇťEstamos sendo desrespeitados, uma vez que os banqueiros insistem em n├úo apresentar uma proposta decente. Tratam com descaso todas nossas reivindica├ž├Áes. Estamos falando de uma categoria que trabalha sobre forte press├úo, sofrem ass├ędio moral, falta de seguran├ža e muitos problemas de sa├║de. Vamos continuar em greve at├ę que atendam nossas reivindica├ž├ÁesÔÇŁ, afirmou Crispim.

Fonte: SINTEC/TO – Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Cr├ędito do Estado do Tocantins

Diretoria Executiva da CONTEC

Sugestão

Estatuto da Crian├ža e do Adolescente completa 30 anos

Para pesquisadores, pa├şs deu um passo importante com publica├ž├úo do ECA No Brasil de 1990, …