Home Informe por Banco ItaĂș ItaĂș tem lucro de R$ 6,4 bi no trimestre, alta de 3,2% em um ano

ItaĂș tem lucro de R$ 6,4 bi no trimestre, alta de 3,2% em um ano

0
619

Desempenho foi influenciado por um custo menor do crédito e pelo recuo das despesas com perdas para calotes

O ItaĂș Unibanco teve lucro lĂ­quido recorrente de R$ 6,454 bilhĂ”es no terceiro trimestre deste ano, cifra 3,2% superior Ă  do mesmo intervalo de 2017. O desempenho do banco foi influenciado, conforme relatĂłrio que acompanha as demonstraçÔes financeiras da instituição, por um menor custo do crĂ©dito e crescimento da margem financeira com clientes.

Os efeitos positivos que beneficiaram o desempenho do banco no perĂ­odo foram compensados por maiores despesas nĂŁo decorrentes de juros em meio ao reforço que a instituição fez de suas equipes comerciais, em especial na rede de agĂȘncias, seguros e adquirĂȘncia. Houve tambĂ©m, conforme o banco, o impacto sazonal do acordo coletivo, alĂ©m do efeito da variação cambial nas despesas na AmĂ©rica Latina.

ItaĂș2
‘Concedemos 38% mais crĂ©ditos para pessoas fĂ­sicas e 22% mais crĂ©ditos para micro, pequenas e mĂ©dias empresas’, diz CĂąndido Bracher. Foto: Daniel Teixeira/EstadĂŁo

A carteira de crédito total ajustada do banco encerrou setembro em R$ 636,4 bilhÔes, aumento de 2,1% ante junho. Em um ano, quando a cifra foi de R$ 575,2 bilhÔes, foi visto aumento de 10,6%.

Em nota Ă  imprensa, o presidente do ItaĂș, Candido Bracher, afirmou que a instituição segue observando uma “demanda saudĂĄvel” por crĂ©dito tanto de pessoas fĂ­sicas quanto de micro, pequenas e mĂ©dias empresas. “Nesse terceiro trimestre de 2018, concedemos 38% mais crĂ©ditos para pessoas fĂ­sicas e 22% mais crĂ©ditos para micro, pequenas e mĂ©dias empresas no Brasil em relação ao mesmo perĂ­odo de 2017”, disse o executivo. “A melhoria dos indicadores de inadimplĂȘncia dessas carteiras ao longo do ano tem evidenciado a qualidade dessa originação de crĂ©dito.”

Os ativos totais do ItaĂș alcançaram R$ 1,613 trilhĂŁo no terceiro trimestre, aumento de 10% em um ano. JĂĄ o patrimĂŽnio lĂ­quido somou R$ 125,035 bilhĂ”es de julho a setembro, incremento de 1,1%. O retorno recorrente sobre o patrimĂŽnio lĂ­quido mĂ©dio anualizado (ROE) ficou em 21,3% ao fim de setembro, contra 21,6% um ano antes.

O Ă­ndice de inadimplĂȘncia, considerando atrasos acima de 90 dias, foi a 2,9% no terceiro trimestre, acima do indicador visto nos trĂȘs meses anteriores, de 2,8%. HĂĄ um ano, entretanto, houve melhora: estava em 3,2%.

InadimplĂȘncia

A piora da inadimplĂȘncia foi causada, segundo o banco, pelas operaçÔes no Brasil, uma vez que o indicador na AmĂ©rica Latina melhorou. Enquanto localmente a inadimplĂȘncia passou de 3,4% ao final de junho para 3,5% em setembro, na AmĂ©rica Latina, baixou de 1,5% e 1,3%, nesta ordem.

O aumento dos calotes, explica o banco, estĂĄ relacionado ao segmento de grandes empresas no Brasil. “Esse aumento da inadimplĂȘncia de grandes empresas ocorreu devido Ă  rolagem de clientes que se encontravam em atraso entre 15 e 90 dias no trimestre anterior e que migraram para a parcela acima de 90 dias e que jĂĄ estavam adequadamente provisionados. NĂŁo houve concentração em cliente ou setor especĂ­fico”, acrescenta o banco em relatĂłrio.

A inadimplĂȘncia de pessoas fĂ­sicas apresentou melhora de 0,6 ponto porcentual em 12 meses, de 5,1% para 4,5%, e a inadimplĂȘncia de micro, pequenas e mĂ©dias empresas teve melhora de 1,5 ponto porcentual , de 4,9% para 3,4%, registrando o menor patamar desde a fusĂŁo entre ItaĂș e Unibanco.

As despesas com provisÔes para devedores duvidosos, as chamadas PDDs, totalizaram R$ 3,904 bilhÔes, cifra 8,8% inferior ante mesmo intervalo de 2017.

O banco reverteu R$ 298 milhĂ”es em provisĂ”es no trimestre, principalmente pela melhora de classificação de risco de um cliente especĂ­fico do segmento de atacado. JĂĄ no varejo – Brasil, o crescimento da carteira de crĂ©dito levou ao natural aumento de R$ 206 milhĂ”es na despesa de PDD do perĂ­odo.

O saldo de PDDs somou R$ 35,496 bilhÔes no terceiro trimestre, queda de 3,09% em um ano, quando estava em R$ 36,630 bilhÔes.

Fonte: O Estado de S.Paulo

Diretoria Executiva da CONTEC

Veja Também

SugestĂŁo

Banco Pan lidera ranking de reclamaçÔes do BC no 2Âș trimestre de 2019

Lista leva em consideração bancos com mais de 4 milhĂ”es de clientes. Bradesco e Santander …