Home Contec Online Lava Jato chega cada vez mais perto dos grandes bancos

Lava Jato chega cada vez mais perto dos grandes bancos

0
678

OperaĆ§Ć£o da Lava Jato mirou gerentes do Banco do Brasil, acusados de facilitar a lavagem de dinheiro| Foto: Marcelo Elias/arquivo/Gazeta do Povo

Depois de praticamente finalizar as investigaƧƵes sobre o envolvimento das principais construtoras do paĆ­s no esquema de desvios de recursos da Petrobras, a Lava Jato parece estar abrindo um novo foco de investigaƧƵes. Neste ano, as operaƧƵes da PolĆ­cia Federal (PF) comeƧaram a mirar bancos usados para lavar o dinheiro desviado dos cofres pĆŗblicos. Pelo menos seis instituiƧƵes bancĆ”rias jĆ” aparecem em investigaƧƵes da forƧa-tarefa: Banco do Brasil, Caixa EconĆ“mica Federal, BTG Pactual, ItaĆŗ, Bradesco e Santander.

A homologaĆ§Ć£o da delaĆ§Ć£o do ex-ministro da Fazenda, AntĆ“nio Palocci, fechada com a PolĆ­cia Federal, ainda pode abrir caminho para investigaƧƵes mais aprofundadas sobre as principais instituiƧƵes financeiras do paĆ­s. Entre os alvos do ex-ministro nos depoimentos da delaĆ§Ć£o estĆ£o o BTG, Banco Safra, ItaĆŗ/Unibanco, Bradesco, dentre outros. Todos os implicados negam as acusaƧƵes.

Os rumores de que a Lava Jato se aproxima dos bancos em sua teia de investigaĆ§Ć£o correm desde 2017, com a expectativa de um acordo de delaĆ§Ć£o de Palocci. O MinistĆ©rio PĆŗblico Federal (MPF) desistiu do acordo com o ex-ministro, mas o ex-ministro acabou fechando a delaĆ§Ć£o com a PolĆ­cia Federal (PF) e teve o acordo homologado pela JustiƧa.

TrĆŖs operaƧƵes em Curitiba neste ano tiveram bancos como alvo
TrĆŖs operaƧƵes deflagradas diretamente pela Lava Jato em Curitiba tiveram bancos como alvo, alĆ©m de outra operaĆ§Ć£o deflagrada em SĆ£o Paulo. Na primeira operaĆ§Ć£o da forƧa-tarefa da Lava Jato autorizada pelo juiz federal Luiz AntĆ“nio Bonat, que assumiu o lugar de Sergio Moro na 13.ĀŖ Vara Federal de Curitiba, agentes da PolĆ­cia Federal tinham na mira executivos do Banco Paulista S/A. Foi a primeira vez que a Lava Jato cumpriu mandados na sede de um banco.

A 64.ĀŖ fase da OperaĆ§Ć£o Lava Jato, deflagrada em agosto, teve como alvo supostas propinas pagas no negĆ³cio de compra, pela Petrobras, em 2013, de metade da PetroAfrica ā€“ empresa de petrĆ³leo africana. As propinas teriam circulado pelo Banco BTG Pactual.

O negĆ³cio teria envolvido prejuĆ­zo de cerca de R$ 6 bilhƵes, segundo os investigadores da Lava Jato. A OperaĆ§Ć£o Pentiti teve como alvos o banqueiro AndrĆ© Esteves, a ex-presidente da Petrobras GraƧa Foster e o PT. A sede do BTG, no Rio de Janeiro, foi alvo de buscas e apreensƵes. A operaĆ§Ć£o foi impulsionada pela delaĆ§Ć£o de Palocci.

O BTG voltou a ser alvo da PF, desta vez em SĆ£o Paulo, no inĆ­cio de outubro, com a deflagraĆ§Ć£o da OperaĆ§Ć£o Estrela Cadente. Os investigadores suspeitam que AndrĆ© Esteves teria recebido, de maneira antecipada, informaƧƵes vazadas do Banco Central sobre a taxa bĆ”sica de juros do paĆ­s, a Selic. A delaĆ§Ć£o de Palocci tambĆ©m embasou a operaĆ§Ć£o.

JĆ” a operaĆ§Ć£o Alerta MĆ­nimo, 66.ĀŖ fase da Lava Jato, foi deflagrada no final de setembro e teve como alvos doleiros e gerentes do Banco do Brasil. A investigaĆ§Ć£o identificou a lavagem de R$ 200 milhƵes entre 2011 e 2014, auxiliadas por trĆŖs gerentes e um ex-gerente do BB.

Parte do dinheiro, segundo o MinistĆ©rio PĆŗblico Federal, foi usada para pagamentos de propinas do esquema de corrupĆ§Ć£o descoberto na Petrobras. A Lava Jato acredita que os gerentes tambĆ©m receberam propina para burlar mecanismos de prevenĆ§Ć£o Ć  lavagem de dinheiro do banco.

Bancos estĆ£o na mira de outras investigaƧƵes
Uma reportagem do portal UOL mostrou, no inĆ­cio de outubro, que investigaƧƵes da Lava Jato apontam que contas abertas nos cinco maiores bancos do paĆ­s foram usadas para lavar dinheiro desviado da Petrobras. O dinheiro sujo teria passado por ItaĆŗ, Banco do Brasil, Bradesco, Caixa e Santander.

Ao todo, segundo a reportagem, foi movimentado R$ 1,3 bilhĆ£o em todas as contas. A Lava Jato apura se os bancos tĆŖm envolvimento no crime de lavagem de dinheiro ao facilitar as transaƧƵes suspeitas.

A maior parte do dinheiro, R$ 989,6 milhƵes, teria passado pelo Bradesco. O Banco do Brasil ā€“ que teve gerentes como alvo na 66.ĀŖ fase da Lava Jato ā€“ teria movimentado R$ 200 milhƵes. Pelo ItaĆŗ teriam passado R$ 94,5 milhƵes. JĆ” pelo Santander teriam sido R$ 19,5 milhƵes. Outros R$ 4,1 milhƵes teriam sido lavados atravĆ©s de contas da Caixa EconĆ“mica Federal.

Palocci pode nĆ£o ter sido o Ćŗnico a delatar instituiƧƵes financeiras
AlĆ©m da delaĆ§Ć£o de Palocci, outro delator que pode ter citado instituiƧƵes financeiras Ć© o doleiro LĆŗcio Funaro. Ele Ć© acusado de ser o operador financeiro do ex-presidente da CĆ¢mara, Eduardo Cunha (MDB-RJ), que estĆ” preso na Lava Jato desde 2016.

Os bancos que mais doaram Ć  campanhas polĆ­ticas em 2014, somando doaƧƵes para todos os partidos, foram o Bradesco (R$ 89 milhƵes), BTG Pactual (R$ 52 milhƵes), ItaĆŗ (R$ 26,6 milhƵes) e Safra (12,9 milhƵes) ā€“ todos citados na delaĆ§Ć£o de Palocci.

Fonte: Gazeta do Povo

Diretoria Executiva da CONTEC

Veja TambƩm

SugestĆ£o

Caixa ameaƧa quebrar contratos e ampliar jornada de trabalho para 8 horas

Um comunicado interno sacudiu a Caixa EconĆ“mica Federal na tarde desta quarta-feira. A dir…