Home Contec Online Papa Francisco pede reforma econômica urgente e defende sindicalismo

Papa Francisco pede reforma econômica urgente e defende sindicalismo

0
303

O Papa Francisco enviou mensagem aos participantes da 109ª Conferência Internacional do Trabalho que se realiza, em Genebra. Por meio de um vídeo de 27 minutos, o pontífice defendeu a filiação sindical como forma de luta no combate aos desrespeitos aos direitos do trabalhador. Ele ainda reforçou ser “inaceitável” a violência contra as mulheres e pediu para que as pessoas evitem o consumismo cego na retomada pós-Covid.

O papa ainda destacou a importância da vida humana, já que “não existem pessoas “elimináveis”. No discurso, o religioso destacou a necessidade de se garantir os direitos fundamentais dos trabalhadores. “A adesão a um sindicato é um direito. A crise da Covid-19 já afetou os mais vulneráveis e eles não devem ser afetados negativamente por medidas a fim de acelerar uma retomada que se concentre unicamente nos indicadores econômicos”.

A mensagem do papa foi exibida em espanhol, língua natal do pontífice. O evento promovido pela Organização Internacional do Trabalho (OIT) reúne representantes de Governos, organizações de empresários e trabalhadores. “Esta conferência foi convocada num momento crucial da história social e econômica, que apresenta desafios sérios e abrangentes para o mundo inteiro. Nos últimos meses, a Organização Internacional do Trabalho, através de seus relatórios regulares realizou um trabalho louvável ao dedicar atenção especial a nossos irmãos e irmãs mais vulneráveis”, afirmou o Papa na durante o vídeo.

Ele ainda reforçou temas fundamentais como o desemprego entre jovens e o tráfico humano. Enumerou inclusive os danos causados pela “falta de medidas de proteção social diante do impacto da Covid-19”: aumento da pobreza, desemprego, subemprego, atraso na inserção dos jovens no mercado de trabalho, exploração infantil, tráfico de pessoas, insegurança alimentar, maior exposição a infecções para os doentes e idosos. “A diminuição do horário de trabalho nos últimos anos resultou tanto na perda de empregos quanto na redução da jornada de trabalho para aqueles que o mantiveram. Muitos serviços públicos, assim como muitas empresas, enfrentaram enormes dificuldades, algumas correndo o risco de falência total ou parcial. Em todo o mundo, vimos perdas de empregos sem precedentes em 2020”, afirmou.

Diretoria Executiva da CONTEC

Sugestão

Lei de Cotas para Pessoas com Deficiência faz 30 anos sem garantir inclusão

Neste sábado (dia 24), a lei que obriga empresas no Brasil com cem ou mais funcionários a …