Home Informe por Banco Banco do Brasil SEEB São José dos Campos luta contra os descomissionamentos no Banco do Brasil

SEEB São José dos Campos luta contra os descomissionamentos no Banco do Brasil

0
1,283

Nesta quinta (14), bancários do Banco do Brasil em todo país se mobilizaram contra os descomissionamentos naquele banco. O Seeb São José dos Campos e região também organizaram ações de protesto.

Nos últimos dias, vários bancários do BB sofrem, vítimas da perda do cargo e redução de salário via Gestão de Desenvolvimento por Competências (GDP). Isso porque, o novo modelo de gerenciamento dos escritórios, com as Superintendências Centralizadoras, tem feito à distância uma maior pressão sobre os administradores para descomissionar mesmo sem observar os critérios históricos.

O Banco investiu milhões de reais no desenvolvimento da ferramenta, com treinamento de gestores e demais funcionários para efetivar a aplicação da GDP. No entanto, sem qualquer critério, agora, para retirar o cargo dos funcionários, basta uma nota abaixo da média vinda do superior que o banco entende que pode efetivar o descomissionamento.

A média das notas que historicamente era utilizada para avaliação de desempenho foi alterada ao longo dos anos pelo Banco do Brasil e os funcionários não entendem mais os critérios adotados. O efeito imediato dessas ondas de descomissionamento é o terrorismo com todo os demais funcionários, principalmente os gerentes de relacionamento.

Consta no acordo coletivo que o Banco observará três ciclos avaliatórios consecutivos de GDP com desempenhos insatisfatórios, como requisito para dispensa de função ou de comissão em extinção de funcionário. A falta de critérios e de transparência nas avaliações tem causado perplexidade nos funcionários que têm denunciado que as Superintendências estão pressionando os gestores imediatos a cortar o cargo e salários dos funcionários, mesmo sem critérios claros.

O sindicato orienta os funcionários a acompanhar de perto a sua avaliação, com as anotações e comentários necessários, pois muitos gestores não anotam na GDP os feedbacks positivos com o objetivo de dificultar futuros questionamentos sobre critérios adotados.

Fonte: Seeb São José dos Campos

Diretoria Executiva da CONTEC

 

Veja Também

Sugestão

Banco do Nordeste lucra 1,3% mais em 2018 e soma R$ 725,5 milhões

O Banco do Nordeste do Brasil (BNB) teve lucro líquido de R$ 725,503 milhões em 2018, alta…