Início » Reunião COE Itaú/CONTEC trata da segurança e saúde dos funcionários no novo contexto da pandemia do coronavírus

Reunião COE Itaú/CONTEC trata da segurança e saúde dos funcionários no novo contexto da pandemia do coronavírus

postado Assessoria
374 visualizações

A COE Itaú/CONTEC – representada pelo diretor da Feeb SC, Eduardo Israel e pelo presidente da CONTEC, Lourenço Prado – esteve reunida nesta quinta-feira (09) com representantes do Banco Itaú/Unibanco para debate de assuntos de interesse dos funcionários da instituição. Em pauta entraram a questão do “retorno ao trabalho presencial dos funcionários do grupo de risco”; “a intensificação dos protocolos de segurança em função da nova cepa Ômicron”; “ a certificação CPA-10”; “a sobrecarga de trabalho para os funcionários com jornada presencial”; além dos “fechamento de agências e demissões”.

Os representantes do banco informaram que, em função do cenário atual, com o surgimento de mais uma variante e uma série de preocupações, o Itaú/Unibanco tomou algumas decisões com relação à população considerada grupo de risco. Com isto, algumas pessoas com condições de saúde mais complicadas no que se refere à imunidade, vão permanecer em Home Office.

Segundo o banco, já foi feito um mapeamento anterior desta população de risco, que soma aproximadamente 200 pessoas. Os representantes do banco destacaram que o retorno é planejado com “análise de cenário, avaliações preliminares em relação à variante ômicron e à eficácia das vacinas”.

Eles destacaram ainda que o Banco Itaú/Unibanco está disposto a rever a situação de outros funcionários que eventualmente estejam nesta condição de imunossuprimidos agora e não estavam antes. Na prática, aqueles colaboradores que não estão mapeados como sendo do grupo de risco de imunossuprimidos, e que queiram retornar ao home office, precisarão apresentar relatório médico original detalhado, com descrição do problema de saúde que enfrenta, que justifique o seu retorno ao trabalho presencial.

Quanto à preocupação com o avanço da nova cepa Ômicron, o Banco informou que segue com todos os protocolos de segurança sanitária necessários. Uma preocupação observada foi quanto às localidades onde o poder público está flexibilizando o uso de máscaras nas áreas externas. O entendimento do Banco é que as máscaras devem ser mantidas, mesmo em localidades onde não há obrigatoriedade de sua utilização em áreas externas, pois com as filas dos bancos eventualmente se estendendo para a parte de fora do Banco, há a necessidade de um trabalho de incentivo nas agências para que os protocolos continuem sendo atendidos, e na oportunidade, o banco pede apoio aos sindicatos nesse trabalho de conscientização.

A representação do COE Itaú/CONTEC destacou que as entidades recebem denúncias sobre gestores que estão cobrando de forma assediosa seus subordinados para a obtenção da certificação CPA-10. Outra cobrança do movimento sindical foi em relação à sobrecarga de trabalho para os funcionários com jornada presencial, já que o horário das agências a partir de 04/01/2022 será de 10h às 16h. Para o representante do COE/CONTEC Eduardo Israel, é fundamental que as instituições financeiras reforcem os protocolos de segurança para garantir a vida de milhares e milhares de pessoas, não apenas funcionários como clientes e população em geral.

A CONTEC cobrou ainda a questão da realocação de funcionários após a reestruturação das diretorias comercial e operacional. Muitos estão sendo sobrecarregados de funções em função das demissões e fechamento de agências.

A comissão CONTEC questionou ainda qual a posição do Itaú em relação ao Decreto nº10.854, que afeta, diretamente, o Programa de Alimentação do Trabalhador. O coordenador do Itaú, Romualdo Garbos, disse que algumas mudanças que o governo quer estabelecer causam preocupação não só no cenário ao Itaú, mas em vários segmentos. Ele disse acredita que ações do governo são um grande desincentivo a este benefício, que é absolutamente importante, resultado de uma grande luta e conquista por meio dos sindicatos.

Na ocasião, o presidente da CONTEC, Lourenço Prado destacou as visitas feitas a parlamentares no Congresso Nacional no sentido de vetar os efeitos do decreto. Segundo ele, o movimento sindical está unido para que essas medidas não afetem o trabalhador que já sofreu muitas perdas nesta pandemia.

Assim que a próxima reunião do COE Itaú/Contec for agendada, a CONTEC vai informar todas as entidades.

 

Diretoria Executiva CONTEC.

Deixe um Comentário

Notícias Relacionadas