Início » Adoção em massa de IA no trabalho vai eliminar empregos nos países desenvolvidos, prevê OCDE

Adoção em massa de IA no trabalho vai eliminar empregos nos países desenvolvidos, prevê OCDE

postado Assessoria Igor

A adoção em massa da inteligência artificial generativa no ambiente de trabalho desencadeará uma onda de perda de empregos e ainda levantará questões éticas, afirmou a Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE).

A entidade fez um alerta às economias mais ricas do mundo para que se preparem para uma reviravolta em seus mercados de trabalho, revelou reportagem do diário britânico Financial Times. O relatório aponta que 27% das ocupações estão sob alto risco de automação.

De acordo com a organização que reúne as economias mais desenvolvidas do mundo, cuja sede é em Paris, o rápido desenvolvimento da IA generativa, combinado à facilidade de adoção dessas novas tecnologias, “sugere que as economias da OCDE podem estar à beira de uma revolução da IA que poderia mudar fundamentalmente o trabalho.”

Em seu relatório sobre emprego, a organização alerta também que os possíveis benefícios, como maior satisfação no trabalho e ganhos de produtividade, devem ser ponderados em relação aos efeitos negativos das ferramentas de IA, como o ChatGPT, especialmente para as chamadas ocupações altamente qualificadas.

Citado pelo jornal britânico, o diretor de Emprego, Trabalho e Assuntos Sociais da OCDE, Stefano Scarpetta, ressaltou que, embora o impacto da IA generativa no mercado de trabalho ainda seja limitado, está “claro que o potencial de substituição continua significativo, levantando temores de redução de salários e perda de empregos”.

De acordo com o relatório, as ocupações que correm maiores riscos em áreas como finanças, medicina e direito são atividades altamente qualificadas, que representam cerca de 27% dos empregos nos países-membros da OCDE, que estão entre os mais desenvolvidos do mundo. A participação é ainda maior em países como Itália, Alemanha e França, mas menor no Reino Unido e nos Estados Unidos.

O levantamento da OCDE ouviu 2 mil empregadores e 5.300 trabalhadores da indústria e de finanças em sete países-membros da organização. Entre os que participaram da pesquisa, muitos trabalhadores disseram que as ferramentas de IA melhoraram sua satisfação no trabalho ao automatizar tarefas perigosas ou tediosas.

A pesquisa também mostra que uma parcela significativa dos trabalhadores (três em cada cinco) temem perder o emprego para uma ferramenta de IA nos próximos dez anos. Aqueles que se preocupam com redução de salário estão na mesma proporção. E três em cada quatro dizem que a IA acelerou o ritmo do trabalho, enquanto mais da metade se preocupa com sua privacidade.

Questões éticas

Em entrevista ao FT, o diretor de Emprego, Trabalho e Assuntos Sociais da OCDE também apontou os desafios éticos do uso da IA “em relação à proteção de dados e privacidade, transparência, preconceito e discriminação, tomada de decisão automática e responsabilidade.”

Para garantir que os benefícios da IA não superem os riscos pelo uso da nova tecnologia, a OCDE disse que há “uma necessidade urgente de agir” e insistiu que os membros da organização coordenem suas respostas para evitar “uma corrida ao fundo do poço”.

Em comunicado que acompanha o relatório, o secretário-geral da OCDE, Mathias Cormann, afirma que os países precisam avaliar a adoção de políticas de longo prazo sobre o uso da IA no trabalho, além de “continuar a estimular a cooperação internacional para maximizar os benefícios ao mesmo tempo em que se administram os riscos negativos.”

A OCDE ressalta que o desenvolvimento da IA vai demandar novas habilidades e tornar outras obsoletas. “Trabalhadores de baixa qualificação e mais velhos, mas também trabalhadores mais qualificados, precisarão de treinamento. Os governos precisam encorajar os empregadores a fornecerem mais treinamento, integrarem as habilidades de IA à educação e apoiarem a diversidade na força de trabalho de IA”, afirma a entidade.

Fonte: O Globo
www.contec.org.br

Deixe um Comentário

Notícias Relacionadas