Início » Cartão de crédito segue como tipo de dívida mais comum entre brasileiros

Cartão de crédito segue como tipo de dívida mais comum entre brasileiros

postado Assessoria Sarah

Serasa orienta os usuários de cartões de crédito a fazer uma análise da vida financeira e reorganizar todos os gastos.

O número de famílias endividadas atingiu, em agosto, 79% do total de lares no país, informou a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) nesta segunda-feira (5). Para esse indicador, a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic) considera dívidas a vencer no cheque pré-datado, cartão de crédito, cheque especial, carnê de loja, crédito consignado, empréstimo pessoal, prestação de carro e de casa.

O cartão de crédito segue como principal modalidade de endividamento, com 85,3% em agosto, mesma proporção de julho, mas 3,5 pontos porcentuais abaixo do registrado em abril, desde quando vem caindo.

O uso de carnês e cartões próprios de varejistas tem crescido como modalidade de crédito nos últimos meses, em detrimento de instrumentos puramente financeiros. Nos últimos quatro meses, o endividamento nos carnês subiu 1,8 ponto percentual, alcançando 19,8%.

Para evitar a inadimplência, especialistas da Serasa orientam os usuários de cartões de crédito a fazerem uma análise da vida financeira e reorganizar todos os seus gastos.

Confira abaixo as dicas da Serasa para evitar ou sair da inadimplência:

  1. Cuidados com o número de cartões de crédito: não existe um número limite ou ideal de cartões de crédito. O importante é saber usar os cartões para a melhor gestão da vida financeira;
  2. Veja se há necessidade de ter mais cartões: caso tenha vários cartões de crédito, é importante entender qual a necessidade de uso de cada cartão, os custos envolvidos (anuidade, por exemplo) e a capacidade de pagar mais de uma fatura;
  3. Fique atento às datas de vencimento: para garantir que o nome não fique negativado, pague o cartão em dia. Assim, aumenta a sua credibilidade no mercado e você consegue juros melhores e parcelamentos mais longos para realizar seus projetos;
  4. Use os benefícios governamentais: aproveite o recebimento de renda extra, como o 13º e o Saque Emergencial do FGTS, para quitar dívidas;
  5. Informe-se: É importante monitorar sempre o status do seu CPF e utilizar serviços como o Serasa Limpa Nome para quitar suas dívidas com descontos especiais, que podem chegar a 90%.
  6. Anote todos os seus gastos: tenha noção do próprio orçamento. Esta dica pode parecer básica demais, mas é muito importante para manter a organização completa das finanças do mês;
  7. Use a regra 50/30/20 para dividir suas dívidas: 50% para gastos essenciais (como aluguel, comida, contas básicas), 30% para gastos variáveis (cartão de crédito, lazer, etc) e 20% para reserva de emergência.

Fonte: G1

www.contec.org.br

image_pdfimage_print

Deixe um Comentário

Notícias Relacionadas