Início » Santander investiga ida de banqueiros a clube de strip-tease

Santander investiga ida de banqueiros a clube de strip-tease

postado Assessoria Igor

O banco Santander contratou um escritório de advocacia para investigar banqueiros que visitaram um clube de strip-tease em Londres e pressionaram funcionários mais jovens a acompanhá-los após um dia de reuniões da empresa.

O incidente ocorreu em fevereiro, depois que a equipe de mercados de capitais de dívida global do banco espanhol esteve em sua sede no Reino Unido para reuniões de departamento, segundo várias pessoas com conhecimento direto dos fatos.

Naquela noite, sete membros da equipe –incluindo três gerentes seniores e quatro funcionários juniores– foram ao Nags Head Gentlemens Club em Aldgate, que se descreve como “um dos estabelecimentos de dança no colo mais antigos de Londres”.

Preocupações sobre a viagem e o fato de funcionários juniores terem sido pressionados para comparecer foram levadas ao departamento de compliance do banco por um denunciante interno, segundo pessoas informadas sobre o assunto. A FCA (Autoridade de Conduta Financeira na sigla em inglês) do Reino Unido também foi informada, ainda de acordo com as fontes.

“Isso é sintomático de uma indústria em transição de padrões antigos para novos”, disse uma pessoa que trabalha em colaboração com as pessoas investigadas. “A empresa não sabia como lidar com isso porque essas práticas eram comuns há uma década, mas agora são reprovadas, com razão.”

“É um segredo aberto”, disse um funcionário do Santander. “Todo mundo [no banco] sabe disso, mas nada está sendo dito oficialmente.”

Em resposta, o Santander contratou o escritório de advocacia Gibson Dunn, dos Estados Unidos, para conduzir uma investigação interna durante o verão para esclarecer os fatos do incidente.

O escritório entrevistou até 15 pessoas que participaram da noitada –incluindo os sete indivíduos que foram ao clube– e concluiu que não houve pressão explícita sobre os funcionários juniores, de acordo com uma pessoa com conhecimento do processo.

A firma Gibson Dunn não respondeu a um pedido de comentário.

Ninguém envolvido no incidente foi demitido, mas um gerente que orquestrou a noite foi punido.

Em comunicado, o Santander disse: “Levamos muito a sério todas as preocupações sobre a conduta dos funcionários e seguimos um processo rigoroso para garantir que os fatos sejam estabelecidos e as medidas apropriadas sejam tomadas conforme necessário.

“Os detalhes de tais investigações e ações são tratados de forma confidencial e, portanto, não podemos comentar mais.”

A forma como a empresa lidou com o incidente provocou temores entre os funcionários juniores sobre como suas carreiras seriam afetadas, disse a pessoa que colabora com os investigados.

A FCA se recusou a comentar as preocupações dos denunciantes e a possível investigação sobre o assunto.

No início deste ano, quatro funcionários do Deutsche Bank em Nova York foram demitidos depois de frequentar um clube de strip e tentar cobrar a despesa, violando as regras da empresa.

Fonte: Folha de S. Paulo

www.contec.org.br

image_pdfimage_print

Deixe um Comentário

Notícias Relacionadas