Início » BC libera consulta para dinheiro ‘esquecido’ nos bancos nesta segunda

BC libera consulta para dinheiro ‘esquecido’ nos bancos nesta segunda

postado Assessoria Tiago
217 visualizações
Agência Brasil

Sede do Banco Central

Portal será exclusivo para a consulta de valores a receber de contas encerradas ou tarifas indevidas. Confira como consultar os valores

Desde às 0h desta segunda-feira (14), os brasileiros podem saber se têm dinheiro ‘esquecido’ nos bancos ao consultar um novo site do Banco Central (BC). Estima-se que há cerca de R$ 8 bilhões em instituições financeiras que ainda não foram resgatados por clientes. A cifra inclui saldos residuais em contas-correntes, por exemplo, ou cobranças indevidas.

A consulta será feita pelo Sistema de Valores a Receber (SVR), que originalmente ficava no portal do BC. Com a sobrecarga de acesso em janeiro, no entanto, o órgão decidiu criar um site exclusivo (valoresareceber.bcb.gov.br), que vai ao ar nesta segunda. Até agora, R$ 900 mil já foram resgatados. O dinheiro é transferido por Pix.

Continua após a publicidade

Além de um novo site, a criação de um log in e senha para acessá-lo também será diferente. O acesso por meio do Registrato não vale mais. Será necessário fazer um cadastro no portal Gov.br.

Entenda o que é o SVR, veja quem tem direito ao dinheiro ‘esquecido’ e como fazer a consulta.

O que é o Sistema de Valores a Receber do Banco  Central?

É um sistema de consultas no site do Banco Central que permite a você saber se tem dinheiro a receber de bancos e outras instituições financeiras, por contratos encerrados com saldo ou por cobranças indevidas. Se tiver dinheiro a receber, a consulta mostra a instituição e o valor, além de explicar como solicitar a devolução.

Quem tem direito a receber o dinheiro ‘esquecido’ nos bancos?
Nesta primeira fase são R$ 3,9 bilhões para 28 milhões de pessoas ou empresas. Qualquer pessoa pode consultar se tem algum dinheiro a receber caso se enquadre nas seguintes situações:

  • Contas de depósitos (conta corrente ou conta poupança) encerradas com saldo disponível;
  • Tarifas cobradas indevidamente;
  • Parcelas ou obrigações relativas a operações de crédito cobradas indevidamente. Neste caso, somente os recursos de instituições que assinaram um termo de compromisso com o Banco Central estarão disponíveis;
  • Cotas de capital e rateio de sobras líquidas de ex-participantes de cooperativas de crédito;
  • Recursos não procurados relativos a grupos de consórcio encerrados;
  • Outras situações que impliquem em valores a devolver reconhecidas pelas instituições.

Ainda neste ano, o Banco Central pretende incluir:

  • Recursos de tarifas e parcelas relativas a operações de crédito mesmo que não haja um termo de compromisso assinado pela instituição financeira com o BC;
  • Saldos de contas de pagamento, sejam pré-pagas ou pós-pagas;
  • Contas encerradas em corretoras ou distribuidoras de títulos mobiliáriosCom isso os R$ 4,1 bilhões restantes poderiam ser consultados.

Como consultar se tem dinheiro a receber?

Continua após a publicidade

A partir desta segunda-feira, você pode acessar o site valoresareceber.bcb.gov.br. Informe seu CPF ou CNPJ para consultar se você tem algum ‘dinheiro esquecido’. Veja os próximos passos:

  • Feita a consulta, o sistema vai informar se você tem ou não valores a receber. Caso tenha dinheiro para sacar, preste atenção na data que o Sistema de Valores a Receber vai informar. Essa data será um agendamento, e você poderá consultar os valores e informar os dados para a transferência nesse dia.
  • Para fazer o resgate do dinheiro, você precisa ter uma conta na plataforma Gov.br. O cadastro é gratuito e pode ser feito pelo site ou pelo app gov.br.
  • Para conseguir movimentar os valores, você precisa ter um cadastro nível prata ou ouro nesta plataforma.
  • Na data agendada, acesse novamente o site valoresareceber.bcb.gov.br, usando seu login gov.br nível prata ou ouro para saber qual o valor disponível para saque e solicitar a transferência.
  • Se você perdeu a data do agendamento, basta entrar novamente no site valoresareceber.bcb.gov.br e solicitar novo acesso. O sistema vai informar nova data para o retorno. Você não perderá o direito aos valores em seu nome, que continuarão nos bancos pelo tempo necessário até que seja feita a solicitação da devolução.

Posso acessar o sistema com a senha do Registrato?

Não mais. Uma mudança importante é que não será mais possível acessar o sistema com o login Registrato. Por isso, é preciso fazer um cadastro na plataforma Gov.br

E se eu não tiver Pix?

Neste caso, você pode informar seus dados pessoais para que o banco entre em contato com você.

Posso consultar valores de instituições financeiras falidas?

Não. As normas sobre o Valores a Receber alcançam apenas as entidades supervisionadas pelo Banco Central e, com a decretação de falência, a instituição deixa a esfera de supervisão do BC. Nesses casos, recomendamos buscar as informações na Justiça.

Posso resgatar valores a receber de outras pessoas?

Pelo atual sistema não. Mas você poderá encaminhar ao BC, via Fale Conosco, a documentação para comprovar que você tem poderes de representação da pessoa e, caso isso se comprove, será encaminhado o relatório com as informações sobre o total de valores a receber e como entrar em contato com o banco.

E se eu solicitar o valor e não receber o dinheiro?

Você poderá entrar em contato com seu banco e perguntar o que aconteceu. Caso o banco não te responda ou não resolva seu problema, você poderá abrir uma reclamação no BC.

Cuidado com golpes

O BC faz alguns alertas para que a população não caia em golpes. Confira:

  • O único site para consulta ao dinheiro esquecido e para solicitação de valores é valoresareceber.bcb.gov.br.
  • O Banco Centra não envia links e não entra em contato com o cidadão para tratar sobre valores a receber ou para confirmar seus dados pessoais. Ninguém está autorizado a entrar em contato com o cidadão em nome do Banco Central ou do Sistema Valores a Receber.
  • A pessoa não deve clicar em links suspeitos enviados por e-mail, SMS, WhatsApp ou Telegram.
  • O cidadão não deve fazer qualquer tipo de pagamento para ter acesso aos valores
  • Apenas após acessar o sistema e somente no caso de pedir o resgate sem indicar uma chave Pix para a transferência é que pode haver algum contato da instituição financeira para tratar do repasse dos valores. Novamente, não há nenhum tipo de cobrança envolvida para o cidadão e mesmo nesse caso específico, não há razão para informar dados pessoais ou senhas.

Fonte: Agência O Globo

Diretoria Executiva da CONTEC

Deixe um Comentário

Notícias Relacionadas